- Resenha Carolyn Jess Cooke

O menino que via demônios - Carolyn Jess-Cooke

19.9.16Ligeiramente Azeda


Me encantei com o livro de Carolyn assim que o vi. Confesso que sou o tipo de leitora que se apaixona muito fácil ao primeiro olhar de uma bela capa. É muito arriscado julgar o livro pela capa, você pode encontrar de tudo: estórias estonteantes, aventuras sufocantes, uma paixão avassaladora. Mas, pode encontrar, ou melhor, perder, dinheiro e o seu tempo (uma afirmação muito forte, mas que não deixa de ser verdadeira). Porém, com o “amor a primeira capa” já vivi muitas vidas, conheci muito lugares, e participei de aventuras magníficas, e outras nem tanto, não é? Vou nem citar aqui... Mas, com o "Menino Que Via Demônios" foi uma bela viajem. Confira a resenha.

O menino que via demônios | Carolyn Jess-Cooke | Rocco | 2013 | 384 páginas

-------------------------------------------------------------
Autora de O diário do anjo da guarda, a irlandesa Carolyn Jess-Cooke se volta para seres menos iluminados, mas tão fascinantes quanto em O menino que via demônios. O romance conta a história de Alex, um garoto de 10 anos que, desde a morte do pai, tem como melhor amigo um demônio de nove mil anos. Após a tentativa de suicídio da mãe, Alex conhece Anya, uma psiquiatra infantil que sofre com a esquizofrenia da própria filha. Ao longo do tratamento de Alex, porém, Anya passa a questionar suas próprias certezas: seria ele esquizofrênico ou o garoto realmente é capaz de ver demônios?
------------------------------------------------------------ 

Em “O menino que via demônios” conhecemos Alex Broccoli um garoto de dez anos de idade que devido a tantos problemas pelo qual fora obrigado a conviver, parecia um adulto no corpo de uma criança, porém, sem perder a ingenuidade e a pureza característica da sua verdadeira idade. Ele gosta de escrever piadas em seu diário e se equilibrar sobre as duas pernas traseiras de uma cadeira. Sua família se resumia ao cão Woof e à sua mãe, que depois de ter sido abandonada pelo pai de Alex, tornou-se melancólica e depressiva. Quando seu pai morre, o único amigo de Alex passa a ser Ruen, um demônio de 9 mil anos de idade, que conversava e interagia com ele, assumindo formas diferentes: às vezes era um menino igual a ele, sendo uma versão Alex-fantasma, e em outras, um velho.

-------------------------------------------------------------
– Sou seu amigo, Alex.
Então, todo o medo desapareceu de mim, porque o que eu queria mais do que tudo no mundo era um amigo.
-------------------------------------------------------------

A mãe de Alex, Cinthia tentou suicídio novamente, e com isso ele conhece a doutora Anya, uma psiquiatra infantil. Ela acha curioso o caso de Alex, a sua capacidade de ver demônios e começa a investigar a causa disso: seria um sintoma de esquizofrenia ou outra doença mental? Mas, Anya também tem um passado doloroso: sua filha sofreu desta doença. Porém, chega um momento que Ruen começa a pedir a Alex para fazer algumas perguntas à doutora, as quais remetem o seu passado, reabrindo antigas feridas, o que deixa Anya perplexa, pois como Alex poderia saber daquilo?

Ela vê no garoto algo diferente e se depara com seus próprios limites ao tentar convencê-lo de que o seu amigo demônio não existe. Enquanto busca explicar as atitudes do menino a partir de seus conhecimentos em psiquiatria, Anya se aproximará cada vez mais da temida dúvida: será que Alex realmente consegue ver demônios? Seria Ruen mesmo real? Ou existia somente na cabeça do garoto?

-------------------------------------------------------------
– Acha que Alex está realmente vendo alguma coisa?
– Hamlet viu o fantasma de seu pai?
– É uma peça de teatro, Michael…
Ele olha para mim, estendendo a mão para tocar meu braço.
– Não estou dizendo que ele seja um médium, Anya. Tem que haver uma razão para Alex ter se apegado a uma identidade tão específica.
-------------------------------------------------------------

Anya acredita que a maioria das crianças irlandesas que sofre algum tipo de psicopatologia são vítimas do desequilíbrio psicológico de seus pais, que cresceram sob a forte carga negativa da violência social que o país vivenciou nas décadas de 1970 e 1980. No caso de Alex, é a frágil relação de seus pais e os problemas da mãe, Cindy, que o preocupam a ponto de se manifestarem nele sérios distúrbios de comportamento.

Fora Alex e Anya, não há como não mencionar Ruen, de início confesso que ele não me assustava tanto, porém com o decorrer da leitura além de eu mesma me questionar no que eu queria acreditar ou deveria, me vi com medo e abismada por ele. Ruen conseguiu despertar um ódio literário em mim, mesmo não sabendo ao certo se ele seria uma entidade ou somente a representação imaginária. E a autora o compôs tão bem, de uma forma tão palpável, que nos deixa impressionados.

A narrativa é intercalada entre o ponto de vista de Alex e de Anya, e conhecendo cada um podemos ver argumentos que embasam tanto para a afirmação de que sim, o menino consegue ver demônios, quanto para que aquilo possa ser uma representação dos medos de Alex, ou seja, alucinação. Com o decorrer do livro conhecemos os medos, o passado e os cantos escuros da vida tanto de Anya quanto de Alex, a autora certamente acertou em seus personagens, criando-os de forma concisa, que nos tocam de diferentes formas, seja pela inteligência, mas também pela inocência de Alex, ou pela história emocionante e dolorosa de Anya.

Jess-Cook soube como conduzir uma história que apresenta o toque sobrenatural e a tensão em medidas certas, o leve suspense nos prende as suas páginas e o final nos reserva algumas surpresas. A todo o momento nos vemos numa corda bamba que separa a fé e a ciência, ambas medindo forças em um clima sombrio. O desfecho foi ótimo, e ao final pude concluir que “O menino que via demônios” foi um livro praticamente perfeito a meu ver, misturando fantasia e realidade de forma única e muito bem elaborada, do jeito que só grandes autores do gênero conseguem fazer. Emocionante, lindo, dramático e profundo, mais do que recomendado!

Carolyn Jess-Cooke entrou para a minha lista de autores preferidos.

LEIA TAMBÉM!

19 comentários

  1. Realmente não podemos julgar o livro pela capa, a história é muito intrigante, diferente, a sua resenha me deixou curiosa, nunca tive amigos imaginários até agora, bjs.

    ResponderExcluir
  2. Também despertou minha curiosidade,sabe se encontro ele para ler em pdf?

    ResponderExcluir
  3. parabéns pelo blog e acima de tudo pelo gosto de leitura
    http://receitinhasdaverinha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ai amiga,a resenha esta ótima,vc arrasou,mas eu ñ gosto deste tipo de leitura,nada que fale de demônio, assombração,eu não leio.
    Mas valeu a dica,com certeza que tem quem aprecie esse tipo de leitura.
    Bjsss

    ResponderExcluir
  5. Deu uma ponta de curiosidade por aqui , que preciso ler ele urgente
    A historia é bem intrigante

    ResponderExcluir
  6. Que lindas narrativas e resenha! Eu não conhecia este livro e fiquei bem curiosa para ler! Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Hum olha só um leitura legal, esse me interessa, gostei, fiquei curiosa para ler!


    ✡✡Blog Encantado: Atellier Com Mãos de seda ✡✡
    ✡✡Fan Page do Blog✡✡
    ✡✡Bolsas personalizadas, e itens para festas✡✡

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro, mas fiquei bem curiosa depois da sua resenha, o livro parece ser bem intrigante e eu curto livros assim.

    Beijos:*
    Escritas na Chuva

    ResponderExcluir
  9. Esse estilo de capa sempre me ganha, mas com essa resenha foi o combo completo.

    ResponderExcluir
  10. Adoro esses temas mais obscuros com certeza tá na minha lista esse livro.
    http://drigeise.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Que história mais diferente e criativa! Achei bem legal! Bem diferente do esperado, de normalmente ter um anjo da guarda ou coisa assim! Bacana a resenha! =)

    ResponderExcluir
  12. Histórias com teor psicológico e fantasioso quase sempre me interessam! Mas curti mesmo a menção que é feita a Hamlet :D
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  13. Nunca vi o livro, mas fiquei bem interessada após ler esta resenha!

    ResponderExcluir
  14. Nossa, uma amizade entre um menino e um demônio, que curioso e amedrontador ao mesmo tempo *0* Gostei da perspectiva psicológica diante da história familiar do menino e de seu possível dom de enxergar criaturas demoníacas.
    Parabéns, você escreve muito bem.
    Beijos

    www.juhlihipy.com

    ResponderExcluir
  15. Resenha muito bem escrita, parabéns!
    A história desse livro me lembrou muito Supernatural haha! Fiquei bem curiosa pra ler!

    ResponderExcluir
  16. Nossa, deu até medo. E que resenha bem escrita ♡ Infelizmente eu sou muito medrosa e tenho a mente fértil, por isso fujo de livros do tipo, mas sério, fiquei muito curiosa. Fala só pra mim, é verdade ou só mental? Rs
    isabellefelicio.com

    ResponderExcluir
  17. Me interessei por esse livro só por causa da sinopse (claro que também adorei a sua resenha). Sou muito apaixonada por esse livros que envolvam psiquiatria e esquizofrenia :) já anotei o nome para poder colocá-lo na minha wishlist <3
    beijos :*
    http://memorialices.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Gostei do livro só pelo o nome haha sua resenha ficou incrível e despertou a vontade de ler <3

    ResponderExcluir
  19. Eu não sei se conseguiria ler, fico meio com medo dessas coisas, rs. Mas desejo uma boa leitura! Apesar de ter medo, ficou uma resenha bem esclarecedora e com certeza já está despertando interesses em muitas meninas!

    ResponderExcluir

Melhores da Semana

Formulário de contato